Manual do Usuário

ESPAÇO DE TRABALHO

Deixe o ambiente mais agradável!

Coworking já diz tudo, né? Você divide o escritório com outros profissionais e empresas, portanto é importante pensar sempre em quem está ao seu redor! ;) 

Separamos algumas dicas de como fazer com que o ambiente compartilhado seja agradável para todos!

Com essas atitudes todos no escritório ficarão mais contentes e o ambiente ficará mais agradável!

 


COPA E BANHEIROS

Mantenha todos os espaços comuns sempre organizados e limpos!

A Copa e o  WC são espaços de todos! Por isso, lembre-se que além de você, existem outras pessoas que precisam usar esses ambientes ao longo do dia.

É sempre bom lembrarmos o que podemos fazer para colaborarmos com a manutenção dos espaços comuns, não é mesmo? Para isso, separamos algumas dicas super valiosas:

Parecem pequenas atitudes, né? Mas, são essas atitudes que nos ajudam no dia a dia!

Antes de sair do local, verifique se tem alguma coisa que deixou para trás, aquela sujeirinha que parece besta, pode incomodar e muito o outro.

Pense no próximo, e tudo ficará melhor para aproveitarmos bem todos os ambientes do nosso Coworking.

 


SALAS DE REUNIÃO

Saiba como usar!

Todos nós, que estamos habituados com o coworking, sabemos que a Sala de Reunião é de extrema valia para todos.

E, para que esse espaço, super requisitado, possa ser usado sem estresse, é sempre bom  reservá-la com antecedência!

Por isso:

Você já deve saber que no  site do Estúdio tem um menu Reuniões, lá tem uma agenda compartilhadaque você pode consultar a disponibilidade de salas e confirmar o seu próprio agendamento.

Para fazer sua solicitação é só mandar um e-mail para: reservas@estudiocapanema.com.br

Achamos importante, antes de você  agendar a sala de reunião, dar uma olhadinha no nosso manual:

E mais, as salas podem ser utilizadas SEM RESERVA, sempre que estiverem livres.

Por isso, fique atento à agenda e, em caso de dúvida, mande um e-mail ou converse com a recepção.

Nós estamos sempre disponíveis para ajudá-lo! 

 


PERGUNTAS FREQUENTES

Qual é sua dúvida?

Outras pessoas usarão o meu espaço?
- Não. Sua mesa, gaveteiro e armário é de seu uso exclusivo.

Posso escolher o meu lugar dentro do escritório?
- Sim. Dentre as vagas disponíveis você  escolhe a que será́ de seu uso exclusivo.

O escritório possui impressora?
- Sim. Temos impressora laser e scanner com uma taxa cobrada por uso.

Posso levar meu próprio computador e impressora?
- Sim. Fornecemos energia e internet em cada posição de trabalho.

Preciso pagar a mais pela Internet, energia, ar condicionado, café ou água que consumir?

- Não. Já́ está tudo incluso no plano mensal.

 Existem outras taxas mensais?

- Não. Apenas a mensalidade.

Quais os serviços oferecidos pela recepção?
- Recebemos e distribuímos a correspondência, seus visitantes em reunião, auxiliamos com portadores e encomendas.

Preciso pagar pelo uso da sala de reuniões?
- Não. O uso é compartilhado igualmente entre os usuários e está incluso no plano mensal.

Existem outros planos além do mensal?
- Não. Não trabalhamos com locação avulsa.

O prédio tem serviço de estacionamento mensal ou rotativo?
- Verifique na recepção do escritório se a sua unidade possui esta opção.

Posso dividir minha posição de trabalho com mais de uma pessoa?
- Mais de uma pessoa pode ocupar a mesma posição desde que em períodos alternados. Para uso simultâneo a sala de reuniões está disponível. 

Não gostei do meu lugar, posso mudar?

- Sim. Havendo disponibilidade.

Posso utilizar equipamentos de som?
- Sim. Mas apenas do tipo portátil com o uso de fone de ouvidos e dentro da sua posição de trabalho.

Posso levar meus próprios móveis?
- Não. Infelizmente nosso layout não comporta mobiliário adicional ou alterações.

Como as ligações telefônicas são tarifadas?
- Cada usuário deve habilitar seu próprio telefone e, é responsável pelo pagamento de suas despesas. Pergunte-nos sobre sistemas disponíveis e instalação.

Tem mais alguma dúvida que não foi respondida nesse conteúdo?

Entre em contato conosco, será um prazer eslarecê-la! ;)

4 tendências do coworking como impulsionador de negócios

 

Em meio a uma crise econômica, os escritórios compartilhados estão crescendo em número e tamanho e mesmo o perfil de clientes está mudando.

Hoje, esses espaços, tradicionalmente conhecidos por abrigar startups e profissionais freelancer, estão se tornando a solução para redução de custos de empresas de vários portes. Mas as tendências do coworking em 2016 vão além disso: os escritórios compartilhados estão se tornando verdadeiras ferramentas para impulsionar negócios e gerar oportunidades, principalmente por facilitar networking e trocas de informações entre as empresas.

Com as restrições de mercado, que provocam receios quanto a investimentos de longo prazo; somadas à alta taxa de desemprego no Brasil, que ultrapassou 10%, profissionais e empresas estão buscando soluções criativas tanto para cortar custos quanto para gerar novos negócios.

Nesse contexto, os espaços de coworking têm se tornado uma tendência exatamente por ser um ambiente fértil para buscar essas novas oportunidades, gerar ideias  e encontrar soluções.

E quais são as principais tendências para coworking em 2016?

1. A redução de custos atrai novos perfis de empresas

Os espaços de coworking já não são mais ambientes exclusivos de profissionais autônomos e startups. Em parte por causa da demanda de redução de custos e flexibilidade, empresas maiores estão cada vez mais buscando escritórios compartilhados como alternativas aos altos valores de aluguel e de estrutura.

Um dos benefícios mais óbvios de se optar por trabalhar em um coworking é o preço: nesse tipo de ambiente, é possível manter um endereço em uma região empresarial, próxima a potenciais clientes e parceiros, a um custo significativamente menor do que manter uma estrutura própria. Essa localização de escritório pode fazer a diferença na hora de receber ou visitar clientes.

Outra vantagem é a flexibilidade de contratos, que podem ter a duração bem menor do que escritórios permanentes; e a simplificação da administração do escritório, já que os espaços já oferecerem toda a estrutura de móveis, sala de reunião, telefone, internet e copa, por exemplo. Essa simplicidade e flexibilidade são atraentes mesmo para grandes empresas que mantém uma equipe menor em uma cidade ou país diferente de sua origem. E essa tendência está mudando o perfil de coworkers.

2. Oportunidades de crescimento pelas conexões entre indivíduos

Empreendedores têm desafios freqüentes no dia a dia, que vão desde questões do negócio em si até detalhes administrativos, como escolha de fornecedores, tecnologias e ferramentas de trabalho adequadas. Nesse sentido, o coworking tem se tornado um espaço de troca de informação e indicações, capaz de gerar oportunidades que aceleram processos, especialmente no caso de novos empreendimentos e negócios que dependem de tecnologia.

Exemplo claro disso são os compartilhamentos de prestação de serviços, indicações de softwares e tecnologias, recomendação de fornecedores e até mesmo trocas de ideias  e experiências sobre modelos de negócios.

Uma vantagem de se trabalhar em um espaço de coworking é a possibilidade de integração e relacionamento com pessoas de diferentes perfis e experiências. Essa troca é o fundamento da economia compartilhada: gerar valor pelas conexões com indivíduos de diversas empresas.

3. Coworking favorece o surgimento de novos negócios e oportunidades de trabalho

Outro reflexo da conexão entre indivíduos é que, uma vez que os coworkers convivem muito próximos, eles ajudam a indicar a qualidade do trabalho de outras pessoas e empresas dentro do mesmo grupo; ou até mesmo dão suporte para o crescimento de startups e ideias inovadoras com o surgimento de parcerias e relações de valor.  

Isso vale tanto para empresas quanto para profissionais autônomos que, ao conviver com um grupo de diferentes perfis, acabam se tornando referências na sua área de especialização para aquela rede de contatos. Com isso, surgem novas oportunidades de negócio e até de trabalho.

Como consequência, o coworking contribui para que profissionais prosperem mesmo em um momento de crise, encontrando alternativas de trabalho pela interação com outros profissionais e empresas; e algumas vezes até mesmo aprendendo novas áreas de atuação.

4.  Coworking está substituindo home Office, aumentando a produtividade

A tendência de substituir o home office por escritórios compartilhados tem se mostrado cada vez mais freqüente. E a primeira razão para isso é a possibilidade de interação humana, rara para quem trabalha de casa.

Uma vantagem desse modelo, principalmente para novos empreendedores e profissionais autônomos, é que um ambiente próprio para trabalhar incentiva a concentração e aumenta a produtividade – ao contrário de casa, onde é preciso muita disciplina para evitar a procrastinação. A interação com outros profissionais que estão trabalhando também funciona como estímulo para manter o foco nos projetos.  

E você, o que acha dessas tendências para 2016? Compartilhe sua opinião com a gente!

Novidade boa para os nossos Coworkers

A parceria com a Apoio, que presta consultoria para empresas que usam aparelhos da Apple, vem para facilitar a sua vida!

Não é de hoje que sabemos que uma vida digital organizada simplifica muito a vida de um empreendedor. Melhora a segurança da informação, previne possíveis ataques, integra a comunicação em diferentes dispositivos e, por fim,  organiza toda informação importante para nosso negócio.

No entanto, organizar todos os sistemas e instalar os programas certos pode se tornar um fator de estresse e desperdício de tempo, principalmente para todos nós que não estamos habituados a fazer manuntenção e set up de nossas máquinas, não é mesmo?

Entendendo essa dor comum entre muitos dos nossos coworkers,  Ricardo Comissoli, sócio do Estúdio Capanema, teve a exclente ideia de conseguir uma parceria com a empresa Apoio, que presta consultoria paraempresas que usam aparelhos Apple.

Se você já precisou de ajuda com seu Apple, com certeza vai se identificar com esta história...

A ideia da parceria surgiu de uma necessidade própria do Ricardo, que após inúmeras tentantivas de instalar softwares, mesmo com ajuda de amigos e tutoriais do Yotube, percebeu que a tarefa não era tão simples e rápida. Toda esse energia empreendida já estava custando muito tempo dele, que é custoso para a empresa.

E foi partindo dessa necessidade que ele encontrou a Apoio! A solução foi tão rápida e prática que Ricardo propôs uma parceria entre a Apoio e o Estúdio Capanema.

Veja como a consultoria pode ajudá-lo a usar o máximo da sua máquina!

Diferentemente do que se dizia há anos atrás, o sistema operacional da Apple não está mais imune a ameaças como vírus, malware e outras possíveis invasões que eram ocorrênciasconhecidas apenas de usuários de Windows.

Quem trabalha com Apple deve instalar não apenas o antivírus, mas também ajustar as configurações de segurança de navegadores e sistemas.

E foi pensando nessas necessidades que fechamos essa parceria. Agora todos os nossos coworkers podem contar com uma empresa séria que além de ajudar com as manutenções necessárias, poderá treinar o time para que todas as máquinas sejam operacionalizadas em sua capacidade máxima.

O que a Apoio faz?

  • Consultorias

Envolvem desde a instalação e configuração de programas em equipamentos e dispositivos Apple, com adequação do sistema operacional, até a configuração e instalação de redes, servidor Linux, servidor de e-mail e de impressão.

Os serviços também auxiliam a adaptação do Windows para Apple, incluindo treinamentos, além de instalar simuladores para uso de Windows em um Mac.

  • Treinamento para usar devices (iphone e ipad), aproveitando a capacidade máxima desses aparelhos

Oferece esclarecimentos que ajudam a empresa a usar os devices no melhor da sua capacidade: demonstração de recursos pouco conhecidos, mas que aumentam a produtividade; tipos de backups e sincronização de dados entre diferentes dispositivos, aumento de segurança, suporte para entender o Apple ID, iCloudeiDrive e outros serviços.

  • Organização de conteúdo

A Apoio ajuda a organizar melhor os conteúdos, automatizando algumas funções, de forma a tornar a disposição e uso das informações mais eficiente. Essa organização é não apenas no computador, mas também na nuvem e nos programas de e-mail – nesse caso, com política para a organização de anexos enviados e recebidos. A empresa também oferece serviço de catalogação de acervos de imagens.

  • Segurança da Informação

O trabalho da consultoria em segurança da informação abrange serviços para previnir ameaças, orientações sobre backup, ajustado à necessidade da empresa – um fator que pode ser vital para a sobrevivência do negócio.

Por fim, para celebrarmos ainda mais essa nossa parceria, é importante entendermos que o compartilhamento de serviços também é networking para empreendedores!

O benefício da parceria entre o Estúdio Capanema e a consultoria Apoio vai além do óbvio, que é oferecer descontos em consultoria Mac para as empresas que trabalham dentro do espaço.

É sempre importante ressaltar que o coworking é mais do que uma estrutura física, mas uma real oportunidade de networking com outras empresas e de trocas de informações, indicações de serviços, e até uma forma de melhorar o posicionamento e relevância com fornecedores.

Os clientes do Estúdio Capanema têm 15% de desconto no pacote de segurança da informação. Assim, você ganha um super desconto e ainda fica livre de possíveis ameaças.

Quer saber como manter seus dados digitais seguros?

Então, confira esse conteúdo que está cheinho de dicas para você!

Nos dias de hoje é super importante nos preocuparmos com as seguranças dos nossos dados digitais, sejam os que estão armazenados nos smartphones ou dados que estã nos nossos computadores.

Entendendo que a segurança online é uma necessidade real de todos nós, que dependemos de devices para nos comunicarmos trabalharmos, entre outras atividades, separamos uma lista super bacana para você ficar tranquilo e se proteger de possíveis ataques.   

Segurança Digital: Será que você está fazendo certo?

  • Atualização de Sistemas é essencial!

É importante manter seus aplicativos e softwares atualizados, porque quando não atualizados esses se tornam uma porta aberta para entrada de vírus e invasões de suas máquinas.

Programas como Safari, iTunes, Security Update e o Remote Desktop Client Update têm sido atualizados com maior frequência para evitar vírus e invações.

  • Navegação pessoal: Cuidado com o phishing

Se você acessa muitas vezes uma mesma página, como: redes sociais, lojas virtuais, sites bancários; precisa começar a tomar bastante cuidado a possível pesca de dados!

O spyware é um software espião de computador que coleta essas informações de acessos repetidos, sendo uma chance para os hackers criarem “interfaces bem parecidos com as que acessamos diariamente” para enganar os usuários e obter informações pessoais: senhas, dados bancários e cartões de crédito.

Para evitar essa ação, conhecida por phishing, sempre digite o endereço dos sites direto na barra de navegação, tenha muito cuidado ao acessar esses sites por links que aparecem nas buscas, redes sociais, e-mails, etc.

  • Arquivos na nuvem: Quais os cuidados a serem tomados?

Provavelmente você armazena arquivos na nuvem, e como é a sua senha? É de extrema importância que a senha configurada contenha: letras maiúsculas, letras minúsculas, números e caracteres, como asteriscos e cifrões. Quanto mais difícil for a senha, mais protegido você estará!

Autenticação de dois fatores: É um recurso a mais para a segurança dos seus arquivos, quando os mesmos forem de extrema importância.

Mas, o que é isso?

É um código gerado em seu celular e que será solicitado no momento do login.

Saiba como configurar:

Backup: Quando fazer?

Todos os meses a gente cria arquivos novos, fazemos downloads e modificamos documentos, por isso é importante que seja feito backups regularmente, assim todos os arquivos serão armazenados e não serão perdidos caso algo aconteça com a sua máquina. Idealmente, esses arquivos deverão estar na nuvem, pois se a máquina for comprometida, esses arquivos poderão ser acessados de outras máquinas.

  • Qual a diferença ente Update e Upgrade?

Muitas pessoas pensam que essas palavras têm o mesmo sentido, porém, cada uma delas tem ações diferentes.

Update: É quando você atualiza uma informação ou uma alteração. Ex: Quando muda a senha do seu e-mail, você faz um update desta informação.

Upgrade:É quando você aprimora, ou seja, troca alguma coisa por outra melhor. Ex: Quando você atualiza um software para uma nova versão.

Se você precisa fazer updates ou upgrade faça sempre um backup integral de sua máquina e arquivos antes.

Agora você já saber como se proteger, seguindo essas dicas você ficará bem mais seguro, não acha?

Se você ainda acha que precisa de mais ajuda com backups ou segurança digital, é só entrar em contato com o Paulo Catunda, ele é o consultor parceiro do Estúdio Capanema.

Para mais informações acesse: http://www.apoiodoc.com.br/

Novo Espaço de Coworking: Integração de Shopping e E-commerce

Já pensou em trabalhar em um espaço em que você possa interagir com grandes marcas diariamente para criar tecnologias que realmente atendam as necessidades delas? E se, além disso, essa tecnologia pudesse ser testada por consumidores de verdade, praticamente em tempo real?

Isso não é mais uma idealização e uma sim realidade. Um novo conceito de Coworking foi criado, o nome é Bespoke, e esse lugar “dos sonhos” fica lá em São Francisco, nos Estados Unidos.

Para quem nunca ouviu falar,  Bespoke (que, em português, significa “sob medida”)é um espaço de coworking e eventosque foi criado pela Westfield Corporate para potencializar a inovação. Nesse conceito, o coworking é muito mais do que simplesmente dividir custos e interagir com outras empresas: é uma oportunidade real de colaboração, para que as inovações sejam criadas sob medida e levadas ao mercado.

Vamos entender melhor o que é o Bespoke?...  É um Shopping,coworking ou laboratório?

O Bespoke é um projeto local, idealizado para unir empresa online e offline, com possibilidades de melhorar o atendimento dos seus clientes, fomentar a inovação e trazer o e-commerce para o mundo real.

Nesse caso, inovação significava interagir e conquistar compradores online.

E, entendendo esse cenário, veio à ideia de fazer com que essas marcas interagissem com empresas de inovação, desenvolvedores de tecnologias em geral, como: wereable devices, (dispositivos vestíveis, produtos que integram tecnologia ao ser humano), desenvolvedores de aplicativos baseados em geolocation (ferramenta de localização geográfica), entre outros prestadores de serviços digitais focados no varejo.

Então, a solução proposta para isso acontecesse de forma mais natural, abrindo a rede de networking entre varejistas e empresas de tecnologia, foi à criação de um espaço de coworking dentro de um shopping em San Francisco.

E o projeto não parou por aí!

A ideia não era apenas proporcionar para esse mercado prestadores de serviços que desenvolvessem novas tecnologias capaz de atender todos os varejistas do shopping. O projeto deveria ir adiante para ser realmente fomentador de inovação!

Logo, foi estabelecido que além de ter todas as tecnologias desenvolvidas sob medida para as marcas estabelecidas ali, o coworking deveria proporcionar a possibilidade de essas tecnologias serem testadas pelos consumidores das marcas.

A ideia passaria então do mundo físico para o online, pois proporcionaria às startups utilizarem o espaço físico para vender os produtios online, entendendo em tempo real o comportamento do consumidor on e off.

Qual local seria mais indicado para realizar tudo isso do que um shopping, que tem mais de 20 milhões de pessoas circulando por ano? As marcas já estaríam ali, os clientes já estão circulando por ali, o feedback viria em tempo real e cara a cara!

O shopping era cenário dos sonhos porque ali seria possível entender como os clientes usam os protótipos, entender necessidades não indetificadas pelas marcas para aprimorar a usabilidade do usuário, ajudar os desenvolvedores a melhorarem esses novos produtos antes mesmos de eles serem lançados no mercado, reduzindo muito o risco de rejeição do público e evitando possíveis prejuízos.

Ou seja, Beskope = proposta de interação entre marcas que realmente induz a colaboração!

Nesse espaço, onde o Beskope está,  já existem marcas estabelecidas no mercado e agora seria viável uni-las às startups de tecnologia para que fossem criadas soluções que atendam às demandas dos consumidores através de uma experiência omni-channel (homem como canal). É um ambiente de teste ao alcance da mão, a qualquer hora!

Para os idealizadores do Bespoke, o maior mérito desse espaço foi repensar as experiências vividas, tanto por empresas quanto por consumidores. E é nesse repensar de experiências que os espaços de coworking tendem a trabalhar para criar novos valores para seus clientes.

SOBRE A ESTRUTURA: O Bespoke tem uma estrutura física digna do Vale do Silício!

Se o espaço chama a atenção em conceito, o espaço físico não fica atrás: a estrutura reflete a cultura do Vale do Silício. Como o coworking fica no quarto andar do Shopping Westfield em São Francisco, que recebe cerca de 20 milhões de pessoas por ano, à primeira vista parece uma loja como as outras ali instaladas.

Os espaços colaborativos ocupam uma área de 1.300 metros quadrados e têm capacidade para 200 pessoas. Todos os equipamentos e amenidades são compartilhados pelo grupo.

Mas, o que esse espaço oferece?

·       12 salas de conferência, que podem ser convertidas em lojas voltadas para o shopping – facilitando a pesquisa de conceito com clientes do shopping.

·       Área de demonstração de tecnologias de (ambiente high-tech, high-touch), com telas de sensor touch do tamanho de uma parede.

·       Centro de eventos de com capacidade para até 1200 visitantes. Esse centro é reversível em salas menores.

·       Cozinha compartilhada, com acesso a aplicativos para pedir comida da praça de alimentação do shopping.

·       Diversos ambientes e tecnologias de entretenimento – como a estrutura de bocha, com grama artificial, no meio do escritório, com direito a um pequeno “estádio”; e parede de escalada.

·       Empreendedores de tecnologias, principalmente voltadas para o varejo, prontos para criar soluções cada vez mais inovadoras.

Será que esse novo conceito de espaço coworking vem para o Brasil? Compartilhe sua opinião com agente!

Economia Compartilhada: Desafios e Oportunidade

Uma das maiores novidades do tempos atuais em relação ao consumo e é a Economia Compartilhada.

A tendência do consumo está cada vez mais sendo direcionada para a troca de experiências do que para a compra de bens e produtos. Atualmente, não é necessário possuir objetos ou espaços para oferecer serviços, esse não é mais o meio e o fim para geração de renda, vai além disso, e está se mostrando como um belo começo e oportunidade.

Assim como o Uber possui um modelo de negócios que não conta com sequer um automóvel de sua propriedade e o AirBnB que oferece espaços sem nunca ter arrendado um terreno, muitas outras iniciativas foram elaboradas em nosso país espalhando o conceito de Economia Compartilhada no Brasil.

Seguindo o modelo internacional. A Economia Compartilhado no Brasil cresce em um ritmo inacreditável. Tal fato se  dá a natural evolução tecnológica, assim como a crise econômica que o país vem enfrentando.

Muito embora o poder aquisitivo da população venha sendo reduzido consideravelmente por causa da crise e do alto índice de desemprego, a Economia compartilhada no Brasil vem encontrando seu espaço, já que ela gira em torno dos próprios consumidores – “Uma transação pode gerar várias” – como disse a Lisa Ganksy, empresária e autora, norte americana.

Ou seja, um indivíduo pode oferecer serviços de qualquer tipo, como alugar objetos que estão sendo inutilizados (e que são de extrema serventia para outras pessoas), alugar espaços para quem precisa trabalhar ou guardar volume, entre muitos outros. No entanto, esse também se beneficia desse novo modelo de consumo, gerando um sistema mais economico que gira em torno de ranking e avaliações e que fomenta a valiosa troca de serviços, informações e experiências.

Deste modo, a conexão entre indivíduos torna-se um dos fatores críticos de sucesso para o avanço da Economia Compartilhada no Brasil e no mundo, pois a relação entre consumidor e prestador de serviço é totalmente dependente para que outras pessoas comecem a entrar na rede da economia compartilhada.

Um exemplo é a relevância que a avaliação de um serviço prestado tem para que continue sendo prestado, quanto melhor avaliado aquele serviço prestado, mais chances de esse mesmo prestador fechar negócios, e assim por diante.

Uma prova do crescimento da Economia Compartilhada no Brasil é a criação de uma grande quantidade de aplicativos baseados neste conceito.

É possível citar iniciativas como o Caronaê, um aplicativo de caronas que atende a estudantes, professores e colaboradores da Universidade Federal do Rio de Janeiro, criado por um aluno da instituição ou ainda o aplicativo Consulta do Bem, que auxilia indivíduos na marcação de consultas médicas através da otimização das agendas dos profissionais de saúde.

Há ainda o aplicativo Parafuzo que oferece serviços para casa, a exemplo de limpeza, elétrica, hidráulica, pintura, entre outros.

O que podemos ver com os exemplos citados acima, é que apesar de termos muitos desses serviços prestados em formatos de consumo tradicionais, a necessidade de aprimoramento desses serviços e barateamento dos mesmos vai ao encontro à necessidade de um outro indivíduo ganhar uma grana extra de forma criativa.

Esses fatores fazem com que as comunidades se juntem em função de uma orgnização alternativa para trocas e compartilhamentos de experiências e produtos. A partir do momento que a experiência é boa, aquela pessoa continuará andando por essa rede e se conectando com outros prestadores de serviço.

O outro olhar....

Ao mesmo tempo, a Economia Compartilhada também faz com que as pessoas que comecem a interagir mais fortemente nessas comunidades e se afastem de quem não faz parte de seu networking, diminuindo as interações entre grupos independentes e eliminando intermediários, o que diretamente pode, ao longo prazo, reduzir o número de vagas tradicionais no mercado de trabalho.

Um exemplo mais real disso foi a reção dos taxistas quando o Uber começou a ganhar mídia e espaço no Brasil.

Uma das causas que estão gerando polêmica sobre as prestações de serviços que seguem os modelos de economia compartilhada é a falta de leis que regulamentam os serviços prestados, ou seja, o indicador de qualidade daquele serviço é a avaliação do usuário, os prestadores não seguem nenhum regulamento oficial – a não ser as leis do próprio App. Sendo assim, no caso de alguma emergência, por exemplo, as medidas a serem tomadas se diferem e podem não ser as mais apropriadas, uma vez que não há uma legislação sobre o assunto que é ainda muito novo no Brasil, mas que vem ganhando força e adeptos de forma muito rápida. 

Por fim, o não recolhimento de impostos e a falta de segurança também são agregados à lista de contras à Economia Compartilhada não só no Brasil, mas no mundo inteiro.

A tendência é que a Economia Compartilhada no Brasil aumente seu crescimento ainda mais. Estima-se que 6,5 bilhões de dólares serão gerados e movimentados por este modelo de negócios até 2020. Porém, uma vez que ele é totalmente centrado no consumidor, são estes que decidem seu futuro e o nosso.

Perfil Coworker | José Mubarack, Terranova Investimentos.

José Roberto Mubarack Filho,

Assessor de Investimentos na Terranova Investimentos, formado em Administração de Empresas pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP com MBA em Mercado de Capitais pelo FIPECAFI – USP.

Estúdio Capanema: Fale-nos um pouco sobre suas experiências na área financeira?

José Mubarack: Meu interesse no mercado de ações começou cedo, pois meu pai sempre trabalhou em corretora de valores.

Em 2004, comecei a trabalhar como estagiário na mesa de operações da Bradesco Corretora e, posteriormente, no Banco e Corretora Fator.

Naquela época as corretoras trabalhavam somente com bolsa de valores negociando ações e contratos de BM&F.

De lá para cá, o mercado brasileiro amadureceu e as corretoras passaram a distribuir praticamente os mesmos produtos dos bancos, atendendo, desta forma, o investidor de todos os perfis.

Em virtude do péssimo serviço que os bancos prestam e também do desconhecimento sobre investimentos pelo brasileiro, há um imenso mercado de poupadores mal atendidos no Brasil e é aí que nossa empresa atua.

Estúdio Capanema: O que é a Terranova Investimentos?

José Mubarack: É uma empresa de assessoria de investimentos que distribui produtos da Xp Investimentos, atualmente, a maior corretora independente do Brasil.

Estúdio Capanema: Quem são os sócios e como surgiu a parceria?

José Mubarack: Somos em 5 sócios: Eu, Pedro Porto, Nestor Lara, Enio Freire e Lorenzo Lorenzetti.

Todos nós trabalhamos em corretoras e bancos. Então, nos conhecemos ao longo de nossa trajetória profissional.

Estúdio Capanema: Há quanto tempo estão no mercado?

José Mubarack: A Terranova foi fundada em 2010 e hoje possui 120 milhões de patrimônio sob sua assessoria.

Estúdio Capanema: Quais são os principais diferenciais para quem contrata o serviço da Terranova Investimento?

José Mubarack: Serviço e produto. Nesta ordem.

Estúdio Capanema: Qual o perfil do investidor que opta por investir na Bolsa de valores pela primeira vez?

José Mubarack: O perfil é muito diversificado e não necessariamente o investidor que aplica em ações é arrojado. Em sua maioria são pessoas conservadoras ou moderadas que colocam uma pequena parte de sua poupança em busca de maior remuneração.

Essas pessoas visam o investimento de longo prazo e procuram empresas sólidas para se tornarem sócias.

Estúdio Capanema: Quais são suas dicas para quem quer investir, mas não sabe como funciona o processo?

José Mubarack: Hoje as informações sobre o assunto são facilmente encontradas.

Sugiro que antes de procurar uma corretora, o futuro investidor leia sobre o assunto ou faça um curso básico sobre investimentos para depois colocar o conhecimento em prática, principalmente no que tange o investimento em ações.

Estúdio Capanema: Quais as estratégias adotadas para atrair investidores em meio à crise?

José Mubarack: Crescemos muito na crise, pois as pessoas passaram a poupar mais.

Em 1 ano aumentamos o nosso patrimônio em mais de 50% atuando passivamente – como, por exemplo, recebendo indicações de atuais clientes.

 

Estúdio Capanema: O ano de 2016 tem sido um ano difícil em decorrência da crise. Quais são as perspectivas para o futuro?

José Mubarack: A proximidade do impeachment trouxe um otimismo ao mercado, mas o Brasil ainda terá um longo caminho para retomar a confiança, bem como, colocar as contas em dia.

O país passa por uma crise política e financeira muito grave e isto não se resolve da noite para o dia.

Entretanto, como o mercado trabalha com expectativa, se o atual governo sair, mesmo com todos os problemas que o Brasil tem a enfrentar, no médio prazo, pode haver uma melhora no de fluxo de capital para cá e, consequentemente, uma diminuição na expectativa dos juros futuros.

Neste contexto, quem estiver posicionado em títulos pré-fixados e ações pode ser beneficiado com retornos acima do CDI.

Estúdio Capanema: Vocês estão no Estúdio Capanema há quanto tempo? Como você se sente em trabalhar num espaço coworking?

José Mubarack: Estamos no Estúdio Capanema desde janeiro de 2015 e gostamos muito de trabalhar por aqui.

A localização e o ambiente de trabalho são excelentes.

A experiência de conhecer outras pessoas, estrangeiros inclusive, com outras profissões é muito enriquecedora.

Evento Braskem Incentivo a Empreendedores

Uma vez mais a Braskem deixa claro seu incentivo aos empreendedores e suas soluções inovadoras. Isso porque o Braskem Labs, um projeto que visa capacitar empresas e empreendedores iniciantes a enfrentarem os desafios da atualidade, está agora em sua segunda edição.

Realizada em parceria com a Endeavor, entidade global sem fins lucrativos que tem como principal objetivo promover o empreendedorismo ao redor do mundo, esta nova edição do evento Braskem, visa encontrar soluções para grande necessidades sociais a exemplo das áreas de água, energia, transporte, educação, alimentação, entre outros.

Os dez melhores projetos do evento Braskem nas áreas de química e plásticos e os dois mais interessantes da categoria de combate ao Aedes aegypti serão anunciados no mês de junho. Estes vencedores do evento Braskem apresentarão seus projetos para executivos e clientes da Braskem, investidores; além de importantes membros da Endeavor no Demo Day em novembro, após um exclusivo programa de mentoria com duração de quatro meses, promovido simultaneamente por ambas as empresas.

Tais ações geradas desde o evento Braskem levarão empresas e empreendedores a alcançarem uma visibilidade considerável no mercado e terão seu crescimento fomentado. Há ainda a chance de se tornarem parceiros oficiais da Braskem ou de algum de seus fornecedores e ou clientes.

Na primeira edição deste evento Braskem em 2015, cerca de 40% dos projetos capacitados tornaram-se parceiros da Braskem, sendo uma delas a Goclic, empresa nacional do segmento de construção civil.

Fundada em 2014 em Garopaba – Santa Catarina, a participação da Goclic neste evento da Braskem fez com que fosse definido o conceito da Casaclic, uma plataforma que, através da utilização de estrutura de aço e paredes de PVC, torna residências mais práticas e acessíveis, sem comprometer sua qualidade. A mentoria corrigiu problemas estratégicos e alinhou sua comunicação, dando escalabilidade ao produto.

Outro grande exemplo foi a indústria de materiais plásticos B-Rap que através do Braskem Labs lançou um produto ideal para a crise hídrica o qual o país todo passou no último ano: uma caixa d’água que se adaptava ao espaço disponível do usuário. Selecionada entre tantas outras, através do programa oferecido por esse evento da Braskem, seu fundador, Marcio Yamin El Bayeh, conquistou conhecimentos sobre precificação de produtos e patentes, além de marketing e agora planeja levar o produto ao consumidor até o final de 2016.

Por fim, um dos grandes destaques da última edição do evento Braskem foi a Beenoculus, uma startup de Curitiba que desenvolveu o primeiro óculos de realidade virtual do Brasil, totalmente ajustáveis a qualquer smartphone. Diferente dos modelos que vem sido lançados, a ideia desta startup é apresentar um produto relativamente barato, a um custo de 129 reais, tornando-o acessível à população.

Como citamos anteriormente, o tema da nova edição do evento Braskem é a busca de soluções sustentáveis e inovadoras na área química ou tecnologia em polímeros (plásticos) ou ainda propostas de combate ao mosquito da dengue Aedes aegypti. Caso você tenha interesse em se cadastrar e participar, entre em contato com a empresa e faça sua inscrição neste evento da Brasken até o dia 15 de maio.

Quem sabe você não seja o próximo grande parceiro desta petroquímica de sucesso mundial?! Boa sorte! 

Parceria Lawmate e Estudio Capanema

Sempre buscando oferecer o melhor para seus clientes e parceiros, o Estúdio Capanema, um dos mais completos e bem localizados espaços de coworking presentes em São Paulo, apresenta agora uma parceria especial com uma excelente consultoria digital em serviços jurídicos: a Lawmate.co.

Formada por advogados focados em tecnologia e investimentos e com profundo conhecimento em direito empresarial, além de especialistas em venture capital e internet, com experiencia internacional em startups(Estados Unidos e Australia), onde o conceito de NewLaw já é bem conhecido, a Lawmate.co foi concebida para funcionar como uma plataforma entre profissionais do ramo jurídico e empresários, com o objetivo de auxiliar empresas a contratarem serviços jurídicos de forma simples, rápida e fácil.  

Diferentemente das demais companhias focadas em consultoria jurídica, a Lawmate esforça-se para falar a linguagem do cliente e esclarecer suas dúvidas, transformando as barreiras em oportunidades.

Com uma biblioteca com mais de 160 tipos de contratos, permite que os processos legais sejam realizados de modo inteligente, fazendo o melhor uso possível de tecnologia, favorencendo o controle dos negócios de seus clientes e oferecendo uma experiência positiva em relação ao ambiente jurídico.

Isso porque se baseia em quatro pilares essenciais:

 

1 – Acessibilidade – Pode ser utilizada a qualquer hora, independente do local.

2 – Colaboração – Tanto o cliente quanto o advogado podem inserir documentos ou fazer observações na plataforma, economizando espaço, tempo e garantindo a manutenção de importantes documentos.

3 – Inovação – Ao contar com um time jovem, porém experiente nas novas formas de comunicação e negócios existentes, a equipe apresenta um novo olhar sobre o mundo jurídico e adiciona inovação a cada um dos processos.

4 – Controle de custo jurídicos – Diferentemente das tradicionais consultorias, a Lawmate esforça-se para fazer comque o mundo jurídico seja cada vez mais inteligível pelos seus clientes. Transparência e clareza reforçam a ideia de que quanto mais simples, mais concreto e eficiente é o processo.

A ideia é inspirada no conceito de NewLaw, ou seja, uma nova forma de lidar com os clientes e de interpretar e expressar as necessidades jurídicas de uma empresa, indo em uma direção totalmente diferente das tradicionais abordagens.

Tudo realizado por meio de planos de assinatura mensal ou contratos avulsos, totalmente adaptáveis ao tipo de negócio e indústria, focando principalmente em startups e contando com preços reduzidos em relação à media de mercado.

O Estúdio Capanema, ciente de todo o potencial oferecido aos seus clientes através da parceria, apresenta condições especiais para a contratação de serviços digitais de consultoriajurídica.

Com a parceria entre Estúdio Capanema e Lawmate, todos os coworkers clientes terão 30% de desconto na aquisição de planos de assinatura, além de 30% na contratação de qualquer serviço avulso. Isso tudo com atendimento personalizado, sempre levando em conta as necessidades e desejos de cada um dos clientes.

Essa parceria é muito benéfica para continuarmos com os nossos projetos de economia compartilhada, que já falamos muito aqui. E não apenas nós ficamos muito felizes, como o pessoal da Lawmate também:

“Ficamos muito contentes com essa parceria com um dos principais e mais conceituados espacos de trabalho compartilhado do Brasil, e estamos preparados para atender os clientes do Estudio Capanema com todo o empenho e qualidade.”

Entre em contato e descubra como tornar seus negócios mais inteligentes.

É muito mais fácil, rápido e exige menos investimento do que você imagina.

Crise aquece o mercado de coworking em 2016

Não é possível esconder o fato de que a crise está presente em nossa economia e, dia a dia, os efeitos são sentidos pela população neste ano que recém se iniciou.

Os pequenos e médios empresários são os mais lesados por tudo que vem ocorrendo e o desemprego vem alcançando altas taxas, enquanto a demanda por produtos e serviços se reduz gradativamente.

Ao mesmo tempo que muitas pessoas enxergam este quadro com pessimismo e acreditam que nada possa ser feito, outras aproveitam a ocasião para pensar diferente e realizar investimentos inovadores, atendendo às necessidades e desejos gerados pelo novo cenário em nosso país, a exemplo dos espaços de coworking.

Deste modo, é possível dizer que a crise aquece o mercado de coworking em 2016.

As razões pelas quais a crise aquece o mercado de coworking são óbvias: com a elevação dos índices de desemprego e a criação de novas formas e formatos de se trabalhar, os indivíduos não estão mais presos a uma única estrutura ou local.

O trabalho flexível ou ainda a terceirização do espaço do local onde se trabalha torna-se uma das principais necessidades do novo momento.

Primeiramente, foram os cafés e as cafeterias que descobriram e seguiram esta tendência. O Starbucks, por exemplo, é dos grandes destaques entre os que entenderam esta necessidade e passaram a prover modos de ajudar as pessoas a realizar suas funções de modo remoto.

Outro motivo pelo qual a crise aquece o mercado de coworking em 2016 é a procura de soluções para otimização de custos por parte das empresas.

Não estar ligado diretamente à uma estrutura reduz os custos fixos para a companhia e diminui sua responsabilidade sobre esta função, além de poder oferecer ao funcionários locais alternativos de escritórios, fugindo de zonas super comerciais. Coworking pode ofecer melhor qualidade de vida sim!

Com a flutuação dos preços de aluguel e as constantes diferenças em taxações, esse fator torna-se totalmente relevante no momento da escolha do tipo de estrutura a seguir, sendo esse modelo benéfico e oportuno tanto para donos de imóveis, quanto para novos investidores e empresas que precisar reduzir custos de aluguel.

Podemos citar ainda, a possibilidade de networking e trocas de experiências que agregam ainda mais aos modelos inovadores de trabalho que vêm sendo cada vez mais discutidos nesses, pelo menos, 6 anos que estamos atuando no mercado, como aconteceu no Global Coworking Unconferece Conferece deste ano.

Tanto o network como a convivência com indivíduos de diferentes áreas , formações e indústrias dentro do coworking, podem gerar conhecimento e até mesmo futuras parcerias, trazendo ainda mais benefícios para o profissional que precisa prosperar em momentos de crise.

Por fim, é possível conferir numericamente o quanto a crise aquece o mercado! Atualmente são 238 espaços ativos no país, sendo 95 deles no estado de São Paulo, atuando nos mais diversos setores.

Muito embora esse cenário pareça ser muito competitivo, ainda existem muitas possibilidades para os coworkings. A tendência é que esses modelos cresçam cada vez mais e seus serviços sejam cada vez melhores, proporcionando benefícios diferenciados por segmento de empresas ou áreas de atuação, por exemplo.

O Estúdio Capanema, pioneiro no Brasil, possui tudo que sua empresa e você necessitam para trabalhar de forma eficiente, com estilo e muito conforto.

Com 2 unidades localizadas em pontos importantes e muito estratégicos da cidade de São Paulo, conta com salas de reuniões e espaços que promovem a interação e o fluxo de ideias, sem comprometer a privacidade de seu dia a dia.

Tudo para aproveitar esta tendência que veio para trazer ainda mais sucesso e flexibilida de para todo e qualquer tipo de negócios. Entre em contato conosco e saiba mais.

Entrevista Coworker do Mês Fevereiro – Aislan - Ipê Invest

Aislan A. Tito é formado em Ciência Econômicas e nos últimos 8 anos, antes de integrar a equipe da Ipê, atuou em auditoria fiscal e consultoria tributária.

Economista, formado pela Rio Branco e contrariado por trabalhar com direito tributário, abandonou a consultoria na qual de dedicavae foi trabalhar na área de distribuição em um banco de investimentos.

Estúdio Capanema: O que te motivou a abriruma Gestora de Recurso?

Aislan: Acredito que seja um sonho bem comum para quem trabalha no mercado financeiro. A possibilidade de gerir recursos com base em estratégias pré-definidas e ganhar com a boa performance dessa estratégia é algo que encanta o profissional desse mercado,  pois entendemos o potencial de valorização que podemos atingir com o desenvolvimento da economia.

Estúdio Capanema: Há quanto tempo estão no mercado?

Aislan: A Ipê Invest, que é a nossa distribuidora de produtos de investimentos, foi fundada pelo meu sócio Fábio Murad em 2007.  Quanto a gestora Ipê Investimentos Asset Management, só foi possível abrir com a chegada do outro sócio Renato Bortolai em 2013, que já possuía o título de gestor de recursos de terceiros.

Estúdio Capanema: Quais eram as necessidades e oportunidades da época?

Aislan: A Ipê nasceu um ano antes da crise do Subprime ,portanto acredito que o maior desafio, que foi o de sobreviver em um momento caótico de crise, foi também uma grande oportunidade para se reinventar. Vender conhecimento por meio de cursos de como operar na bolsa e como realocar seus investimentos foi uma ótima alternativa que soubemos aproveitar para formar nossa base de clientes investidores.

Estúdio Capanema: Quantos sócios tem a Ipê?

Aislan: A Ipê é formada por 5 sócios sendo 2 investidores.

Eu atuo diretamente na área comercial da Ipê invest, focado em planejamento de investimentos.

Fabio Murad, economista, atua como diretor de risco e Compliance da gestora Ipê Investimentos e Renato Bortolai, também economista e gestor dos fundos de investimentos.

Estúdio Capanema: Quantas pessoas fazem parte da sua equipe?

Aislan: Hoje a equipe se divide em quatro profissionais na gestão dos fundos da Asset e mais quatro na distribuição de produtos.


Estúdio Capanema: O que a Ipê faz - diretamente? – Vocês atuam com foco na Bolsa de Valores, atendem pessoas físicas e jurídicas?


Aislan: Hoje, a Ipê Investimentos está dividida em quatro unidades de trabalho sendo a principal delas a gestão de fundos de investimentos.  A escolha das ações são baseadas em análise fundamentalista, ou seja, analisamos balanço das empresas,  gestão corporativa, ramo de atividade,  cenários econômicos no Brasil e no exterior.


Com essa equipe especializada em avaliações de empresas, começamos e emitir laudos de avaliação econômica ou Valuation, muito utilizado em processos de fusões e aquisições de empresas, laudos para ativos intangíveis, avaliação de ativos imobilizados, teste de Impairment e outros.


Outra unidade de negócio que teve origem na Ipê Asset foi as operações câmbio.

Devido ao bom relacionamento com alguns bancos, começamos oferecer aos nossos clientes a possibilidade de enviar ou receber moeda estrangeira com taxas muito competitiva. O resultado foi ótimo.

E por fim, a nossa área de Wealth Management, focada em atender a necessidade de investimento dos clientes, levando em conta seu perfil de investidor, seus objetivos, metas e prazos de liquidez. Com mais de 500 fundos de terceiros, dezenas de emissores de CDB, LCI, LCA, Títulos Públicos, seguros e Previdência, conseguimos oferecer um serviço bem amplo na área de gestão de investimentos.

Estúdio Capanema: Como é a sua carteira de clientes da Ipê?

Aislan: Em investimentos, a maioria de nossos clientes são pessoas físicas, empresários, profissionais liberais que estão fartos de serviços bancários. Buscamos portanto, mostrar a diferença entre manter investimentos com o gerente do bancos e tem uma gestão profissional desses investimentos.

Com o atual cenário econômico, o investimento mais procurado é sem dúvida os investimentos conservadores que entregam em torno de 1,15% a.m. Contudo, um dos maiores investidores do mundo, WarremBuffet,  disse uma frase que retrata bem o movimento que temos visto no mercado atualmente.


“A maioria das pessoas se interessa por ações quando todo mundo está interessado. O momento de interessar-se é quando ninguém mais se interessa. Não se ganha dinheiro comprando o que é popular.”


Estúdio Capanema? Quais são os diferencias da Ipê Investimento – Ipê Equity Alpha?

Aislan: Sem dúvida o nosso fundo Ipê Equity Alpha FIM é um diferencial no mercado. Esse fundo multimercado opera uma parte em bolsa com hedge, índice futuro, dólar, títulos públicos e consegue manter uma volatilidade bem baixa e o melhor, vem ganhando do CDI mês a mês.

Estúdio Capanema: Qual investimento mínimo necessário para uma pessoa torna-se investidor com a Ipê?

Aislan: Os nossos fundos possuem um aporte mínimoinicial de 5 mil, porém, tratamos muito a necessidade de cada indivíduo com sua particular realidade. Mas no mercado é possível começar investir com apenas 100 reais por meio do Tesouro Direto.

Para um planejamento mais completo, um capital de 300 mil é ideal para ter uma boa diversificação e aproveitar as melhores oportunidades do mercado.

Estúdio Capanema: Como foi o ano de 2015 para vocês?

Como para a maioria dos brasileiros, o ano foi caótico com a bolsa em baixa, a economia recessiva, instabilidade política, inflação alta, desemprego crescente, insegurança, isso tudo dificulta muito a entrada de novos investidores. Mas também, foi um anos de se reinventar mais uma vez. Pensamos muito em todas as possibilidades que cercam o nosso trabalho e identificamos as operações de câmbio que já temos muita familiaridade e começamos oferecendo apenas para a nossa base de cliente e agora estamos crescendo todo mês em volume e quantidade de cliente.

Estúdio Capanema: Como vocês enxergam o mercado no ano de 2016? Quais serão as oportunidades?

Aislan: Acreditamos ainda em um cenário interno bem difícil, cercado de inúmeros fatores prejudiciais a nossa economia, mas com grande sensibilidade latente de inicio de uma recuperação para qualquer estimativa de saída da presidente Dilma do governo.

Quanto as oportunidades, sem dúvida nenhuma acredito que estamos diante de um das maiores oportunidades de investimentos dos últimos 7 anos que é comprar ações descontadas, ou seja, muito baratas.

Se considerarmos a nossa bolsa brasileira em dólar, estamos hoje com 11.000 pontos. Para identificarmos o tamanho dessa oportunidade,no pior momento da crise de 2008 chegamos a quase 12.700 pontos, ou seja, acreditamos que após um redirecionamento do país os papeis deverão tem uma forte valorização.

Quer um conselho, investimentos em ações é para longo prazo, então invista em boas empresas e irá obter excelentes resultados.

Estúdio Capanema: Oque dica você poderia dar para quem quer investir e não sabe por onde começar?

O investidor precisa conversar com um profissional do mercado financeiro, que possa esclarecer suas dúvidas e orientá-lo, que a melhor forma de alocar seus investimentos.

É fundamental que seja um profissional qualificado e que possa lhe orientar com propriedade. Tais informações você pode conferir diretamente no site da CVM que possui o registro dos profissionais habilitados no mercado financeiro.

Outra dica, nunca feche nenhum investimento por telefone sem antes conhecer ao certo os detalhes. Você compra carro por telefone? Por que então você aceita investir o seu dinheiro em um produto que você nem conhece?

Estúdio Capanema: O que você poderia dizer sobre Coworking/Estúdio Capanema? Funciona e atende suas necessidades?

Estamos no 12º andar do Estúdio Capanema. Estamos conectados com diversas plataformas online com a bolsa de valores disparando ordens a todo momento; sete computadores plugados no mercado; sistema de telefonia vono que utiliza internet; backup das operações e das gravações telefônicas em tempo real na nuvem da Ipê, salas de reuniões que atendem diariamente demanda de reunião com nossos clientes, serviço de copa, enfim, conseguimos focar 100% em nosso negócio.

Além disso, a integração entre os coworkers já promoveu diversos negócios. O Estudio Capanema sem dúvida sempre atendeu às necessidades da ipê Investimentos. 

Coworking é solução para donos de imóveis

Ter um perfil investidor não significa ter capital para investir em um negócio. Muito mais do que isso, o verdadeiro investidor desempenha constantemente o papel de businessman, sendo capaz de:

·      Identificar oportunidades muitas vezes pouco óbvias

·      Elencar possíveis forças internas e diferenciais do negócio, e, ao mesmo tempo, analisar a situação do setor em que deseja se instalar

E a fonte de todos os recursos responsáveis por esse feeling que gera uma tomada de decisão assertiva, é a informação.

Foi buscando informar-se sobre possibilidades e inovações do mercado que alguns donos de imóveis viram uma oportunidade crescente e rentável em transformar seus espaços alugados em ambientes de coworking.

Fernando Aguirre, que fundou seu espaço de coworking em 2011, quando ainda nem se sabia ao certo o que o termo significava, hoje dá dicas a aqueles que desejam entrar nesse negócio. Sua frase mais impactante revela muito sobre a alma do espaço de coworking: “Coworking é sobre pessoas, não cadeiras”.

·      Coworking e as pessoas

Um fundador que deseja realmente prosperar no negócio de coworking deve entender a mais básica regra de Marketing: Definir a proposta de valor oferecida ao cliente. Quando falamos em coworking, o investidor ou fundador que considera seu negócio apenas como mais um aluguel de espaço, com toda a certeza não compreendeu sua oferta de valor e terá problemas em manter-se estabilizado nesse setor. Muito mais do que sobre cadeiras, coworking é sobre pessoas. Deve-se pensar por qual motivo um profissional freelancer por exemplo, deixaria o conforto de sua casa para se deslocar até outro local de trabalho se, a única coisa que muda, é  o estilo da cadeira. Coworking deve ser muito mais do que isso. Ao ter um ambiente de trabalho compartilhado, você oferece um espaço de troca de experiências e de oportunidades: um local capaz de fazer pessoas prosperarem a partir da interação com outros incríveis profissionais.

·      Dedicação Necessária

Como em qualquer outro negócio, não adianta deixar o espaço de lado, esperando que ele seja utilizado sem que se coloque nenhum esforço em divulgação, promoção de eventos importantes, palestras, cultura coorporativa e aprendizado relacionados ao espaço. O fundador de coworking deve encarar o negócio como qualquer outro investimento de serviço, atentando-se sempre à receptividade de seus clientes.

·      Coworking ainda é um negócio muito novo no Brasil

Pouco se sabe sobre coworking no Brasil devido ao fato de ser uma ideia recém adotada. Por isso, é importante atentar-se às especificações de seu contrato de locação, já que podem haver determinações que impossibilitariam o mantimento de um espaço para a finalidade do coworking, como, por exemplo, a cláusula de impedimento de sublocação. Também deve-se tomar cuidado com contratos de seguros que não cubram espaços comerciais com pertences de terceiros. Tudo isso, sem contar nas leis sobre diversas empresas atuando no mesmo espaço, que variam em cada cidade.

·      Invista em seus ambientes.

Investir em ambientes não significa pagar fortunas em móveis sofisticados ou espaços absurdamente amplos. Significa proporcionar ambientes pensados para o público de coworking, como espaços mais informais e descontraídos, onde possa-se fazer uma confraternização ou networking com diferentes pessoas de outras empresas.

·      Experimente e busque referencias.

Segundo Fernando Aguirre, ninguém sabe ao certo como “jogar esse jogo”. Muito do que foi construído nos ambientes de coworking até o momento, surgiu a partir de tentativa e erro. Ou seja, com quanto mais fundadores, investidores e frequentadores do espaço de cowortking você conseguir trocar experiências, mais histórias de sucesso e fracassos conseguirá acumular, agregando assim, novos repertórios ecompreensões de negócio. Esse simples hábito, pode ajuda-lo a evitar erros de iniciante e aprender com quem já faz isso a mais tempo.

O negócio de Coworking, de acordo com Fernando Aguirre, cresce a cada ano vertiginosamente e continuará em ascensão, já que acompanha um mercado, também crescente, com novas formas de pensar em cultura organizacional. Cabe a cada investidor identificar se as características do seu imóvel são compatíveis com as demandas mercadológicas do setor. Além disso, os novos fundadores devem estar dispostos a mergulharem de cabeça nessa nova cultura, tendo a sensibilidade para compreender qual o bem mais valioso oferecido em um espaço de Coworking.

Coworking é uma resposta à crescente demanda por uma sociedade mais cooperativa

Já percebeu que tem algo muito poderoso acontecendo em nosso país e no mundo de uns tempos pra cá?

Atrizes da Globo não são mais convocadas para serem imperadoras de marcas, mas sim as blogueiras. Aquelas, que há poucos anos atrás ninguém conhecia ou dava bola. Agora são as mais influentes, pois são pessoas comuns falando na mesma linguagem de seu seguidores. E os financiamentos coletivos, então? Quantos livros não foram auto-publicados, peças de teatro apresentadas, longas e curtas metragens filmados, sem depender do capital de empresas? Sim, felizmente estamos entrando em uma era mais cooperativa, mais saudável, mais consciente e mais progressista.

É um momento construído por uma geração que demanda de maneira impetuosa empresas inovadoras com foco no cliente e com a energia de pessoas que já compreendem o tipo de ambiente, modo de trabalhar e se relacionar que o novo momento em que estamospede. Integrado à essa nova mentalidade, surgem os espaços decoworking, não apenas como um local para startups, mas sim como um novo modelo de estrutura empresarial para corporações de todos os portes. 

Exemplos de empresa de sucesso que compreenderam a nova mentalidade do mercado

A Sympla, que ganhou o prêmio de Startup do ano,é uma plataforma inteligente para venda e gestão de ingressos e inscrições de eventos. Deu início a suas atividades em 2015, com apenas 12 funcionáriose terminou o ano com seu tamanho quadruplicado e novas filiais em diferentes estados do Brasil. Outras startup’s que se destacam são a “Nubank”, plataforma completamente online de um cartão de crédito sem anuidade e a “Socorro, meu filho não estuda”, que oferece consultoria para pais desesperados, além de conselhos gratuitos também pela internet; as duas criadas no final de 2014.

Foco de Investimento

O que as três empresas mencionadas mais tem em comum não é seu tamanho ou o fato de serem novas no mercado, mas sim a orientação de capital que possuem. Ao invés de lidarem com burocracias e optarem por locais ou lojas físicas, as empresas focaram seus investimentos naquilo que seus clientes valorizam, proporcionando uma melhor experiência com seus produtos e serviços.

O modelo de Coworking viabiliza uma cultura orientada para o cliente em pequenas, médias e grandes empresas

Investimento

No espaço de coworking, a empresa pode acabar com custos excedentes com água, luz, refrigeração, entre outros. Os espaços também possuem normalmente secretárias e funcionários próprios responsáveis pela recepção e limpeza no ambiente. Diminuindo um escritório físico, realocando parte dos funcionários em espaço de coworking ou em home office, faz com que a empresa diminua também seus gastos com aluguel do escritório. Assim, é possível reavaliar como a empresa está investindo e se está tendo seu valor percebido pelo cliente. Com o crescente uso da tecnologia, novas soluções de obtenção de produtos surgiram, propagando a cultura do “faça você mesmo” ou “procure no Google”.

É importante saber se sua empresa está investindo naquilo que seu cliente mais preza, como a “Nubank” por exemplo, que optou por não ter agências de banco para não cobrar taxas excessivas no cartão de crédito.

Flexibilidade

Ao contrário do que acontece com os escritórios convencionais, em que deve-se fechar um contrato anual para alugar um espaço, nos escritórios de coworking, os contratos são extremamente flexíveis, podendo serem realizados mensalmente ou semanalmente, de acordo com as necessidades da empresa. Supondo que a sua empresa queira realizar pesquisas de mercado para compreender o que seus clientes estão demandando em diferentes cidades ou Estados, não haverão preocupações em manter um escritório pouco ocupado, por exemplo.

Networking

Rodrigo Cartacho, Cofundador e CEO da Sympla deu uma dica preciosa quando disse: “Não há uma semana sequer que eu não me reúna com pelo menos uma startup de San Pedro Valley para troca de experiências.” Toda essa percepção de mercado e de possíveis inovações não surge do nada. Quanto mais encontros com pessoas de diferentes áreas e experiências, mais é possível ter novas ideias e manter-se sempre a par do que acontece com outras empresas aqui e no mundo.

Estar em um ambiente de coworking significa estar com pessoas diferentes todos os dias. Fazer novos contatos, além de ajudar a empresa em áreas fora de sua expertise, pode também, expandir o modo de pensar, fazendo com que novas linhas de pensamento surjam para tomada de decisões, evitando, assim, a inércia ativa.

Como vimos, o coworking é um espaço para empresas de todos os portes e incentiva a inovação constante.Cabe as empresas já estabelecidas no setor, repensar a forma como se comunicam com seus clientes e avaliar se seus profissionais estão preparados para alavancar novos projetos com diferentes abordagens.

Acreditamos que para uma empresa crescer sua cultura interna deve estar alinhada com a cultura de seus consumidores.  Sendo assim, transformam-se em pessoas trabalhando para pessoas, capazes de moldar-se para proporcionar maior acessibilidade, praticidade, transparência e relevância.

Essa nova cultura que hoje vivenciamos e que é de extrema importância para as empresas compreenderem e também vivenciarem, além de visível no espaço de coworking,é também representada nas atitudes das pessoas que frequentam o local. Essas, ao invés de competirem entre si, visam uma melhora coletiva, compartilhando o conhecimento e dispondo-se também, a aprender a qualquer oportunidade. 

Coworker do mês: Lucila Quintino - Hotel Consult

Nossa entrevistada do mês de Janeiro, iniciando a série em 2016 é a coworker Lucila Quintino.

Formada em Administração de Hotéis e Restaurantes pela Johnson & Wales University – Estados Unidos, e Pós-graduada em Hotelaria Hospitalar pela Faculdade Albert Einstein, Lucila passou por muitas etapas dentro do mercado hoteleiro até abrir a HotelCunsult.

 

Estúdio Capanema: Conte-nos um pouco sobre sua trajetória até abrir a HotelConsult?

Lucila: Como hoteleira de formação, iniciei minha vida profissional em hotéis. Fiz a faculdade nos Estados Unidos e nas férias, quando vinha ao Brasil, aproveitava o tempo livre para fazer estágio em algum hotel daqui. Aos vinte e um anos, o que mais me marcou foi a experiência de três meses no Hotel Maksoud Plaza, no qual tive a oportunidade de passar portodos os departamentos do hotel.

Atueina rede Marriott, em uma pequena cidade de Massachussetts, chamada Newton Centre. Cidade bem ao lado de Boston. Fui Recepcionista e ajudava também nos Eventos do hotel, que eram muitos, principalmente eventos sociais. Quando retornei ao Brasil, já formada, demorei um pouco para entender de que forma poderia me encaixar dentro da minha área de formação, pois nesta época eu tinha o desejo de exercer alguma função de ‘back office’ na hotelaria. E então surgiu a oportunidade na área de Recursos Humanos da Rede de sanduiches Subway, a qual durou por dois anos e meio.

Como Gerente de Recursos Humanos, eu treinava franqueados, recrutava a equipe inicial das lojas na fase de implantação e os treinava também.

A última experiência profissional que tive antes de abrir a HOTELConsult foi na Accor, no braço de Hotelaria. Ingressei na área de Recursos Humanos, e cuidava de Seleção e Desenvolvimento de 1.500 funcionários localizados nos hotéis das várias marcas da empresa, da região Sul e Sudeste do Brasil. Minha estada na Hotelaria Accor durou quase três anos.

 

Estúdio Capanema: Quantas pessoas fazem parte da sua equipe?

Lucila: Somos uma pequena equipe de 4 pessoas, Gabriela (Consultora de Seleção e Desenvolvimento), Ana Flávia (Consultora de Seleção e Desenvolvimento), Neide (Administrativo/ Financeiro) e eu, que faço de tudo um pouco!

Em uma empresa pequena não podemos nos dar ao luxo de ser diferente!

 

Estúdio Capanema: Quais são os serviços que vocês prestam para o mercado hoteleiro?

Lucila: Trabalhamos com Seleção e Desenvolvimento de Profissionais. Atuamos principalmente com setores do segmento de Hospitalidade, como Hoteis, Restaurantes, Entretenimento, Eventos,...Mas quando surgem vagas de outros setores também temos condições de realizar.

 

Estúdio Capanema: Como é a sua cartela de clientes?

Lucila: Atuamos com clientes de todos os portes, desde pousadas até redes nacionais e internacionais, como Rede Estanplaza e Rede Pestana de Hotéis.

 

Estúdio Capanema: Você atua apenas em São Paulo?

Lucila: Atuamos cada vez mais em todo o Brasil. Nas regiões mais distantes de São Paulo e Rio existe uma enorme carência de prestadores de serviços especializados.

 

Estúdio Capanema: Qual foi o seu maior desafio desde 2001, quando você abriu a HotelConsult?

Lucila: Meu maior desafio tem sido recrutar profissionais para vagas operacionais. É impressionante a distância entre os perfis encontrados e o que os empresários esperam deles. Encontrar pessoas experientes não é tão difícil. O que tira muitos profissionais dos processos seletivos é a falta de competências comportamentais, que tem muito a ver com educação.

 

Estúdio Capanema: Como foi o ano de 2015 para o mercado hoteleiro e como você vê o ano de 2016?

Lucila: O ano de 2015 foi desafiador, mesmo com a Copa. Esperávamos mais deste evento.

Já 2016 deve ser interessante, pois a cidade do Rio de Janeiro está concentrando este acontecimento (Olimpíadas) e sendo assim, os hotéis locais tem um desafio enorme, que é o de não perder membros de sua equipe para o concorrente. Muitos hotéis serão abertos este ano. Será um desafio enorme preencher vagas com profissionais experientes.

 

Estúdio Capanema: O que você poderia falar sobre o mercado hoteleiro brasileiro?

Lucila: Nosso mercado é extremamente frutífero. Existe muito espaço para novos hotéis independentes e novas redes nacionais e internacionais.

A HOTELConsult ocupa um espaço no qual a profissionalização do setor é cada vez mais necessária. Percebemos que a forma de pensar dos hoteleiros tem amadurecido com o passar dos anos. Pois antes não tinham a cultura de contratar uma Consultoria de Recursos Humanos para lhes ajudar, algo já tão praticado por outros segmentos.

Estúdio Capanema: Quando vocês optaram por uma solução de Escritório Compartilhado – Estúdio Capanema?

Lucila: Optei por estar no Estudio Capanema depois de alguns anos em home-office. Comecei a sentir a necessidade de ‘ver gente’, trocar ideias, perceber o mundo de um jeito diferente. Foi a melhor escolha que fiz. Outras vantagens em estar aqui é a possibilidade da empresa ser ‘elástica’, de acordo com o momento de mercado. Algo que não teria caso estivesse em um conjunto de escritório próprio.

 

Estúdio Capanema: O que você poderia dizer sobre esse modelo de negócio, sendo do mercado hoteleiro?

Lucila: O modelo de Co-Working é incrível. E se encaixa com qualquer tipo de segmento. Basta uma mente aberta e mais moderna, de que é possível e extremamente vantajoso compartilhar um mesmo espaço com diversos tipos de empresas. Só consigo ver pontos positivos em ampliar sua visão de mundo, uma vez que está empreendendo. 

Pague apenas um valor e tenha todos os recursos que um Coworking Pode Oferecer!

O Estúdio Capanema oferece as melhores instalações, ambiente e localização privilegiados. Aqui você tem o maior espaço de trabalho do mercado, só para você, localizado numa rua tranquila e charmosa, à metros de alguns dos melhores restaurantes da cidade e perto do que o bairro tem de melhor. Seja no nosso amplo espaço de conceito open-office ou nas nossas confortáveis salas privativas, nossos clientes dividem um escritório muito agradável, ao lado de colegas inteligentes e empreendedores que inovam o tempo todo e podem ajudar a desenvolver o seu negócio e rede de relacionamentos. Venha conhecer o nosso espaço e novo andar com salas privativas. Ainda temos espaços de co-working disponíveis!

Visite nossa galeria de fotos!

Coworking é uma nova Tendência

 

O coworking é um conceito de espaço coletivo de trabalho que vem crescendo rapidamente como tendência em escritórios de todo mundo e já chegou também aqui em São Paulo e outras cidades do Brasil.

Enquanto o conceito é relativamente conhecido, as características de cada espaço e públicos que eles atendem variam muito. Alguns espaço atendem projetos temporários de curta ou média duração, enquanto outros são voltados para profissionais em início de carreira. O perfil do público acaba sendo definido pelo preço, localização e estrutura oferecidos. Como profissional e como pessoa, é natural que você se sinta mais à vontade num espaço que tem mais a ver com sua personalidade e perfil de trabalho. No Estúdio Capanema atendemos um público de profissionais mais sênior, que buscam um perfil corporativo para o seu negócio, mas sem abrir mão de um clima descontraído e excelente custo benefício. Fisicamente, isso se traduz no mobiliário impecável, com mesas individuais espaçosas e uma localização premium, privilegiada com serviços e amenidades à passos do escritório. Você fica perto de tudo, mas ao mesmo tempo tem a tranquilidade de estar em uma rua muito calma, com clima de bairro. Venha fazer uma visita ao espaço e tomar um cafezinho com a gente!